Profe, você está sempre ao ponto!

Um dia como outro qualquer, cheguei para uma aula no horário marcado, achando que aquele dia seria um dia realmente comum na minha carreira de professora de português para estrangeiros, mas claro que eu estava errada! As aulas nunca são tão comuns assim! Assim que cheguei, meu aluno canadense de nível avançado já, me recepcionou dizendo:

Ana, eu fico impressionado como você está sempre ao ponto!

Imaginem como eu me senti naquele momento! Foi mais ou menos assim:

image
Fonte: Como eu me sinto quando

Eu, como boa brasileira, em milésimos de segundos, pensei:

Uau! Eu estou muito gostosa!

Como eu não podia perder a oportunidade, falei para ele:

Obrigada! Eu não sabia que você pensava isso de mim (cara de surpresa) =)

Claro que ele não entendeu bem minha resposta e logo eu expliquei que ele tinha acabado de me chamar de gostosa! hehe

Para você, estrangeiro, que está lendo este post e não está entendendo nada, usamos a expressão ao ponto, normalmente, para definir o estado de uma carne, como na imagem abaixo:

Ou seja, no geral, uma carne ao ponto é aquela que está no ponto exato, seria a carne mais bem feita e mais gostosa (claro que cada pessoa tem sua preferência). Aqui no Brasil, é muito comum fazermos os mesmos elogios para comidas e para pessoas.

Depois que expliquei ao aluno que ele tinha acabado de me chamar de gostosa, ele morreu de rir e acrescentou:

Eu não falaria dessa forma, mas já que falei, fica o elogio! hehe

Depois desse momento de descontração, expliquei que, na verdade, ele queria dizer que ficava impressionado por eu sempre chegar em ponto, ou seja, sempre na hora marcada, sem atrasos.

A surpresa dele vem de um estereótipo BEM brasileiro a respeito da (falta) de pontualidade da gente! Eu sou brasileira e odeio pessoas enroladas que chegam atrasadas em todos os lugares, mas preciso dizer que essa é uma característica MUITO comum aqui em Brasília hehe A minha esperança é que meus amigos atrasadinhos (Leia meu post sobre diminutivos em português) não façam isso em seus ambientes de trabalho, mas eu não coloco minha mão no fogo por eles! hehe

Reuni alguns sites que descreveram essa característica brasileira, caso tenham interesse:

Agora, voltando ao tópico deste post, vejam como a mudança de uma palavrinha pode mudar totalmente o sentido de uma frase! Imaginem se meu aluno tivesse falado isso para uma outra pessoa, que não soubesse lidar com essas situações e levasse essa frase para o lado pejorativo? Coitado, ele estaria em apuros! Que bom que foi para mim que ele falou! =)

Assim, professores de português para estrangeiros precisam estar preparados para lidar com essas situações e saber quando podem ou não fazer brincadeiras com seus alunos sobre suas produções. Lembro que esse meu aluno é uma pessoa maravilhosa e muito tranquila, que adora essa confusões que acontecem na língua, por isso sabia que minha reação não seria levada como falta de respeito.

Já aconteceu alguma situação parecida com você (professor ou aluno)? Me conte nos comentários.

Deixe seu comentário

WhatsApp chat