Aprenda Português Escutando Música – Como obter resultados mais eficazes?

by Aline Simo on 21/09/2015 No comments

Aprenda Português escutando música

Como aprender uma língua escutando música e obter resultados mais eficazes?

images (1)

Aprenda Português escutando música: aprender um idioma é sempre um desafio, né? Porém, quando encontramos alguma afinidade com a Língua Alvo o aprendizado é leve e mais agradável! Você já tentou aprender um idioma escutando música? Não??? Experimente e verá como é enriquecedor, tanto para seu vocabulário quanto para desenvolver o ritmo natural da língua. A música é uma ferramenta eficaz para quem deseja aprender uma língua estrangeira: as letras das músicas são fontes de palavras e expressões que vão ser memorizadas de forma descontraída. Vamos aprender Português escutando música?

Como aprender inglês ouvindo Músicas - Dicas_thumb[2]

Aprender uma língua com uso da música é uma atividade que nos dá prazer e pode se tornar o que faltava para você melhorar seu conhecimento na Língua Portuguesa. Eu aprendi Espanhol ouvindo músicas e sou prova viva de que realmente funciona! Porém, por experiência própria, devemos “seguir algumas etapas” para que otimizemos nossa aprendizagem através da música sem que percamos o prazer desta atividade.

APRENDA PORTUGUÊS ESCUTANDO MÚSICA E OBTENHA RESULTADOS MAIS EFICAZES

VEJA ALGUMAS DICAS:

1 – Escolha uma música da qual você goste.

download

2 – Tente ouvir a música sem olhar sua letra e entender palavras-chave.

 

download (1)

3 – Agora procure a letra da música.

Uma sugestão para buscar as letras: http://letras.mus.br/

Sem título - Cópia

 

4 – Escute a música acompanhando a letra que acabou de ler.

CANTAR 1

 

 

5 – Escute novamente e comece a cantar.

cantar

atenção

A repetição auxilia a memorização. Se você seguir essas 5 etapas vai ver que sem esforço e agradavelmente irá aprender Português escutando música.

DICA – Aprenda Português Escutando Música.

Comece com músicas mais lentas: MPB (Música Popular Brasileira) é uma excelente opção!

VAMOS TREINAR?

Tente seguir essas cinco dicas com esta música:

Capitão de Areia – Paralamas do Sucesso

Ouviu? Conseguiu entender as palavras-chave? Agora acompanhe a Letra:

Letra da Música

Finalmente acompanhe a música com auxílio da letra e comece a cantar e pôr em prática o que acabou de aprender com nosso post – Aprenda Português Escutando Música.

E você, já aprendeu uma língua estrangeira graças à música? Se sim, qual canção? Não deixe de compartilhar conosco a sua experiência!

Professora Aline Simo

Quer praticar seu português conosco?
Envie um e-mail para contato@cursovilabrasil.com.br e agende uma aula experimental gratuita!

Aline SimoAprenda Português Escutando Música – Como obter resultados mais eficazes?

10 Expressões idiomáticas engraçadas.

by elianimorais on 18/09/2015 No comments

10 Expressões idiomáticas engraçadas.

Temos várias expressões idiomáticas engraçadas. Vamos ver algumas?

  1. Pisar na bola

expressões idiomáticas engraçadas

fonte da imagem

Mostra uma atitude inaceitável. Ex.: João faltou 1 mês ao trabalho. Ele pisou na bola e foi despedido.

  1. Engolir um sapo

 

expressões idiomáticas engraçadas

 fonte da imagem

Significa receber uma bronca de alguém.  Ex.: Marquinhos  ficou na internet o dia todo.  Engoliu um sapo dos pais por isso.

 

  1. Pé na jaca

 

expressões idiomáticas engraçadas

fonte da imagem

 

Cometer excessos. Enfiar o pé na jaca. Ex.: Comi muito no final de semana e saí da dieta. Enfiei o pé na jaca mesmo.

 

  1. Descascar um abacaxi

expressões idiomáticas engraçadas

fonte da imagem

 

Resolver um problema complicado. Ex.: Hoje o dia de trabalho foi intenso com muitos problemas, só descasquei abacaxi.

 

  1. Segurar vela

expressões idiomáticas engraçadas

fonte da imagem

Ficar com um casal de namorado atrapalhando o namoro deles. Ex.: Janaína saiu com Camila e Rodrigo, ficou de vela.

 

  1. Bater as botas

 

expressões idiomáticas engraçadas

fonte da imagem

 

Falecer. Ex.: O senhor Jair bateu as botas ontem à noite.

  1. Pendurar as chuteiras

 

expressões idiomáticas engraçadas

fonte da imagem

 

Aposentar-se. Ex.: Júlio está indeciso se pendura as chuteiras ou não, pois ficar em casa não é tão bom assim.

 

  1. Bola murcha

 

expressões idiomáticas engraçadas

fonte da imagem

 

Ficar sem ânimo. Ex.: Terminou tantos namoros que ficou com a bola murcha.

 

  1. Dar a volta por cima

 

expressões idiomáticas engraçadas

fonte da imagem

Recuperar-se de algo. Ex.: Marina estava triste, mas deu a volta por cima e agora está ótima.

 

  1. Conversa com a minha mão

expressões idiomáticas engraçadas

fonte da imagem

Quando não se quer continuar uma conversa, uma vez que o assunto é chato. Ex.: Falar sobre política? Conversa com a minha mão.

 

Espero que tenham gostado. Essas são algumas de nossas expressões idiomáticas engraçadas. Há muitas outras. Venham conhecer!

Abraço a todos!

Professora Eliani Morais

Quer praticar seu português conosco?
Envie um e-mail para contato@cursovilabrasil.com.br e agende uma aula experimental gratuita!

elianimorais10 Expressões idiomáticas engraçadas.

Como usar o imperativo no Português do Brasil

by Aline Simo on 13/09/2015 No comments

 


COMO USAR O IMPERATIVO NO PORTUGUÊS DO BRASIL. APRENDA A DAR UMA ORDEM SEM PARECER GROSSEIRO.

 

2015-09-11 14.23.13

Você sabe como usar o Imperativo no Português do Brasil?  Vamos ver… Na língua portuguesa, temos três modos verbais:

  • Modo Indicativo: quando o verbo indica uma certeza, uma realidade, algo que de fato acontece, aconteceu ou acontecerá.
  • Modo Subjuntivo: quando o verbo indica dúvida, possibilidade, ou seja, não exprime certeza de que realmente a ação verbal é um fato consumado.
  • Modo Imperativo: quando o verbo indica uma ordem, um pedido, uma sugestão.

O modo IMPERATIVO expressa uma ordem, pedido, recomendação, alerta, convite, conselho, súplica, etc. Embora a palavra imperativo esteja ligada a essa ideia de ordem, nem sempre usamos com esse sentido. Quase sempre, nossa intenção, ao utilizá-lo é estimular alguém a cumprir a ação indicada pelo verbo (mas também usamos o imperativo para proibir, rogar e convidar).

2015-09-11 14.22.36

Até agora está bem fácil, né? Então vamos para a prática!

2015-09-11 14.23.41

Como usar o Imperativo no Português do Brasil?

2015-09-11 14.24.10

O imperativo se divide em afirmativo e negativo e exprimem:

a) ordem ou comando:

Façam  depressa!

b) exortação, conselho:

Não olhe para trás.

c) convite, solicitação:

Venha ver!

d) súplica:

Não me deixe só, meu filho!…

e) ordem:

Saiam da chuva, meninos!

“Na língua portuguesa falada no Brasil – ou seja, na linguagem coloquial brasileira -, o pronome você praticamente derrotou o tu. Muitas vezes, no entanto, as duas formas de tratamento se misturam na frase, causando erro, o que se torna cada vez mais comum quando utilizamos o modo imperativo. Uniformidade de tratamento”

 Atenção!
No Brasil evitamos o uso do Imperativo para não parecer que somos grosseiros ou mandões. Damos preferência pelo modo Indicativo.

Podemos observar abaixo:

a) Não faz isso, menino!

b) Vem ver!!!

c) Sai da chuva, menino…

Observação: Receitas também costumam estar no modo Indicativo.

 

Gostou de aprender como podemos utilizar o modo Imperativo no Português do Brasil? Envie um e-mail para contato@cursovilabrasil.com.br e agende uma aula experimental gratuita!

Professora Aline Simo
 

Aline SimoComo usar o imperativo no Português do Brasil

Cinco dicas para você ser irônico usando o diminutivo

by Aline Simo on 05/09/2015 1 comment

como ser ironico usando o diminutivo

Você sabe como pode ser irônico usando o diminutivo? Aqui veremos cinco dicas para você ser irônico de forma muito simples e exemplificada. Lembra do nosso post que falava sobre o “Uso do diminutivo em Português”? Não??? Veja aqui para (re)lembrar!

Mas o que é ironia?


ironia
Ironia   

A ironia é uma figura de linguagem por meio da qual se diz o contrário do que se quer dar a entender, ou seja com um  sentido diverso ou oposto ao que deveria ser empregado. Normalmente utilizada com intenções sarcásticas e zombadoras.
                                                                                               

imagesIronia

Como podemos ser irônicos* usando o diminutivo?

Veja estes exemplos ilustrados abaixo!

  1. Você gosta mesmo de ler esse jornalzinho?
    Acreditamos que o mencionado jornal não seja confiável ou traga notícias mentirosas.ma_jornal-1024x530
                                                                                         Jornalzinho
  2. Esse doutorzinho não acertou um diagnóstico sequer.
    Acreditamos que o doutor em questão não é um bom médico.doutor-com-notícia-ruim-18406463                                                                                       Doutorzinho

 

  • Ele nos serviu um vinhozinho qualquer.
    Vinho muito barato.vinhos
                                                                                              Vinhozinho

 

 

  • Ele está novamente falando com aquela zinha. (Poderia ser também “amiguinha”)
    Mulher qualquer. Sentido pejorativo.

 

 mulher-provocar-ciumes“zinha”; “amiguinha”

  • Preciso ir para a aula daquela professorinha
    Nesse caso o diminutivo revela ironia, desprezo ou até mesmo antipatia.

 

professor-ruim
Professorinha

*Como já dissemos em nosso post anterior, a entonação da voz  reforçará o sentido irônico ou depreciativo do termo empregado no diminutivo.

 

atenção

Observação:

Quando usamos o diminutivo nos nomes próprios, damos a eles um significado de carinho; algo sentimental e de ternura. Como dizia Veríssimo, aquilo que é nosso, que está “perto de nós, de aconchego, familiar, à mão, é o da gente”.

Exemplos:
Lulinha Paz e Amor
Bruninho
Terezinha
Ronaldinho
Aninha

Isso não quer dizer que as pessoas sejam de baixa estatura, mas sim que elas são muito amadas.

Professora Aline Simo
 

Quer praticar seu português conosco?
Envie um e-mail para contato@cursovilabrasil.com.br e agende uma aula experimental gratuita!

Aline SimoCinco dicas para você ser irônico usando o diminutivo

10 palavras brasileiras que os portugueses não usariam.

by elianimorais on 02/09/2015 2 comments

brasil_portugal-300x193

10 palavras brasileiras que os portugueses não usariam.

Carta a um amigo português

Brasília, 26 de agosto de mil novecentos e antigamente.

Querido Ivo,

Você é meu amigo de “longa data”, mas nunca lhe contei algumas diferenças de nossa língua. Aí em Portugal fala-se bem diferente que aqui no Brasil e por essas e outras que irei descrever algumas situações que quando você vier me visitar talvez não entenda. Já vou esclarecer isso.

Nós dizemos “alô” quando vamos atender a um telefonema, se disser “estou” não iremos entender nada e talvez até desliguemos o telefone na sua cara achando que isso seria uma falta de educação ou até um “trote” desses que a gente que enganar alguém por ai para rirmos depois.

Quando quiser se referir a uma criança, diga sempre “menino” e no máximo “moleque”, mas nunca, nunca mesmo, diga “puto”. Puto aqui é alguém muito aborrecido e bravo com alguma coisa.

Amigo, se quiser deixar uma mulher feliz ao elogiar diga: “você é muito elegante” ao invés de dizer você é gira. Girar é simplesmente dar voltas de 360º no mesmo lugar aqui (rsrs).

Se fizer calor, ofereça um “suco” de laranja. Acredita  que uma vez ofereceram-me um “sumo” para beber e eu recusei prontamente. Disse que queria um refrigerante. Até que percebi que sumo era suco momentos depois (rsrs). Pensei, “querem me dar um sumo da casca da laranja?”

Hum…. Já notei algo também, amiga, usamos “gostosa” para uma mulher muito bonita fisicamente com fins muitas vezes sexuais, é o que seria mais que “gira” para vocês. Então… muito cuidado ao usar essa palavrinha para uma mulher. Melhor dizer que ela é elegante.

Querido, nunca chame uma mulher de “rapariga”, ao contrário daí que é uma mulher nova, aqui significa uma “prostituta”.

E se achar uma mulher, não “garina”, nunca diga “telemóvel”, mas sim “celular”.

No calor, “tome banho” e não um duche.

Se for lanchar, coma um “sanduíche” e não um “sandes”.

Ah! Saia sempre com sua “ carteira de identidade” e não bilhete de “identidade”.

Querido Ivo, espero que tenha aprendido com nosso Português do Brasil. Temos muitas particularidades que nos tornam um pouquinho distantes um do outro. Mas isso não separa nossa amizade, mas sim aproxima pelas diferenças fazendo com que possamos aprender mais culturalmente um do outro.

“Apanhou todas as dicas?”

Saudades!

Beijão de sua grande amiga, Professora Eliani Morais.

 

Imagem disponível em: http://www.ojornalista.com/wp-content/uploads/2009/10/brasil_portugal-300%C3%97193.jpg
 

Quer praticar seu português conosco?
Envie um e-mail para contato@cursovilabrasil.com.br e agende uma aula experimental gratuita!

elianimorais10 palavras brasileiras que os portugueses não usariam.

Português do Brasil X Português de Portugal

by Aline Simo on 28/08/2015 No comments

diferenças entre o porutguês de Portugal e do Brasil

 

Podemos perceber que o Português do Brasil X o Português de Portugal apresenta algumas diferenças, embora Brasil e Portugal falem a mesma língua.

 As diferenças entre o Português do Brasil e o Português de Portugal são relacionadas não somente ao vocabulário, mas também costumam ocorrer na fonética e na sintaxe.

brasiu

 A diferença na pronúncia é a que podemos perceber inicialmente. Os brasileiros, por exemplo, não pronunciam a letra “L” no final das palavras: Brasil, pronuncia-se “Brasiu”, nem a letra “O” final – falando como um “U”: o nome Marcelo falamos como “Marcelu”; já em Portugal, por outro lado, os falantes costumam “eliminar” as vogais átonas, pronunciando bem apenas as vogais tônicas, como por exemplo a palavra “Esperança”: No Brasil ela é pronunciada como “esperança” e em Portugal como “esp’rança”.

Algumas construções sintáticas comuns no Brasil não costumam ser utilizadas em Portugal, tais como:

1.Uso do pronome oblíquo iniciando sentenças.

No Brasil dizemos, “Me dá um abraço?” e em Portugal dizemos, “Dá-me um abraço?”

desenho_abraço

2.  Uso do gerúndio, ao invés de infinitivo + preposição.

gerúndio ligar

No Brasil dizemos, “Estou ligando para você.” e em Portugal dizemos, “Estou a ligar para você.”

 

gerundio 2

3. Diferenças na acentuação. (PB – Português do Brasil e PP – Português de Portugal)

br X pt acento

– Proparoxítonas com e e o tó[ô]nicos seguidos de consoante ou dígrafo nasal (m, n e nh): PB acadêmico (com e fechado) e PP académico (com e aberto); PB fenômeno (com o fechado) e PP fenómeno (com o aberto). Exceção,  Fêmea e estômago têm a mesma grafia.
– Paroxítonas com e e o tó[ô]nicos seguidos de consoante ou dígrafo nasal e terminadas em i e u (seguidos ou não de s): PB tênis e PP ténis; PB bônus e PP bónus.
– Oxítonas : PB matinê e PP matiné; PB judô e PP judo
– Ditongo ói/oi em flexões verbais: PB (eu) apóio e PP (eu) apoio

4. Diferenças na grafia.

letras

– Terminação -emos/-êmos no presente do subjuntivo:

– PB demos (igual ao pretérito perfeito do indicativo demos) e PP dêmos(com ê fechado em contraste com o pretérito perfeito do indicativo demos, com e aberto).
– PB comumente e PP comummente; PB escoteiro e PP escuteiro; PB ímã e PP íman; PB caminhão e PP camião.
– Maiúsculas e minúsculas:
a) meses – PB janeiro e PE Janeiro;
b) festas pagãs: PB carnaval e PE Carnaval

atenção

“O português falado em Portugal possui uma variedade de vogais muito mais complexa que o português brasileiro. Enquanto a fonética do português brasileiro é muito semelhante à do sec. XVII, o português europeu avançou muito mais rápido. Ou seja, o português europeu possui mais sons vocálicos do que o português brasileiro, que é mais conservador. Como o sistema vocálico deles é mais complexo, quando eles falam, ouvimos vários sons que desconhecemos, enquanto que eles, ao nos ouvirem, não encontram nenhuma dificuldade, visto que todos os sons vocálicos existentes no português brasileiro existem também no português europeu. 
No Brasil também se pronunciam todas as vogais, enquanto, em Portugal, há muitas vogais que se omitem. Por exemplo, a palavra “diferente” será pronunciada “difrente”. 
Sabe-se que as vogais são o núcleo de uma sílaba. Quando há diferenças vocálicas expressivas, a inteligibilidade fica comprometida.
Também é um pouco mais complicado compreender o português europeu por causa da tendência à palatalização do som /s/ (que é fazê-lo com som de X, que ocorre com uma intensidade muito mais forte do que no português carioca ou no recifense). 
Ignore quem disser que é porque o brasileiro bagunçou o português ou porque um ou outro não fala o português direito. Essa é a resposta típica do leigo. Cada povo usa a língua da maneira que melhor lhe serve e ninguém é capaz de bagunçar uma língua. Ela sempre seguirá padrões lógicos e rigosos.”

Fonte(s):Linguística – área da fonologia

Ficou curioso para saber mais sobre as diferenças do Português do Brasil e do Português de Portugal? Nosso próximo post será sobre as diferentes palavras utilizadas em ambos países. Não perca!!!

Abraços,
Professora Aline Simo
 

Quer praticar seu português conosco?
Envie um e-mail para contato@cursovilabrasil.com.br e agende uma aula experimental gratuita!

Aline SimoPortuguês do Brasil X Português de Portugal

Diminutivo em português, você sabe como usar?

by Aline Simo on 20/08/2015 No comments

 como usar o diminutivo em português

COMO USAR O DIMINUTIVO EM PORTUGUÊS?

Muitos alunos ficam em dúvida quanto ao uso do diminutivo em português do Brasil, porém os brasileiros são conhecidos mundialmente pelo uso do diminutivo em seu vocabulário cotidiano. Quem nunca ouviu ou falou: -“Um cafezinho, por favor”; -“Só um minutinho”; -“Rapidinho”; -“Só um pouquinho”…diminutivo em português

Vocês se lembram na época da Copa do Mundo do vídeo da Coca-Cola? Nele, falavam dessa nossa característica de forma lúdica e descontraída. (Todos Falamos Portuguesinho). É importante ressaltar que o uso do diminutivo em português nem sempre indica a diminuição do tamanho. Tudo irá depender do contexto: pode ser a manifestação da emoção e das intenções do falante.

O principal morfema da Língua Portuguesa para formação do diminutivo em português é -“inho(a)”. Porém temos outras formas, como por exemplo, meu pai para ser carinhoso sempre me chama de filhota (-ote(a)), que quer dizer filhinho(a).

Alguns exemplos do uso do diminutivo em português:

 

casinha - diminutivo em português

1. Casinha*: Duas amigas se encontram e uma delas chama a outra para ir a sua “casinha” (seria um diminutivo afetuoso, de aconchego). A amiga ao chegar, e perceber que era na realidade uma casa muito grande, exclama: -“Que casinha, hein…”

 

cafezinho - diminutivo em português

2. Cafezinho*: às vezes convidamos alguém para um “cafezinho”, mas na realidade é um lanche completo ou uma grande caneca de café. (E algumas vezes somente uma desculpa para podermos conversar um pouco de forma descontraída).

*Vimos as palavras casinha e cafezinho. Quando usar -s ou -z? É muito fácil! Quando a palavra for escrita com a letra -s (casa, mesa…), nós devemos manter essa letra para a formação do diminutivo (casinha; mesinha). Se a palavra não tiver uma letra -s, então a formação do diminutivo será com -z.

Também podemos utilizar o diminutivo em português para atenuar uma situação. Por exemplo, os alunos sempre têm um certo medo quando ouvem a palavra prova. Então, para diminuir este pavor causado pela palavra, dizemos “provinha”. (Podendo ter várias páginas, ou não… Rsrsrsrs)

atenção

Devemos tomar cuidado com o uso de algumas palavras no diminutivo, porque em determinadas situações poderia causar constrangimentos ou até mesmo ofender as pessoas e magoá-las.

Exemplo:

1. Professorinha: Eu não gostei daquela nova “professorinha”. Nesse caso o diminutivo revela ironia, desprezo ou até mesmo antipatia. (Tudo irá depender muito também da entonação utilizada para dizer a palavra).

Os diminutivos sempre deverão se analisados levando em consideração, como dito anteriormente, o contexto e a entonação usada, pois só assim se terá a noção exata de seu significado.

1. Coisinha: “Que coisinha mais linda esta roupinha de bebê!” (roupa de bebê) X “Eles brigam por qualquer coisinha” (motivo)

 

Quer aprender mais sobre o uso do diminutivo ou outro ponto gramatical?
Envie um e-mail para contato@cursovilabrasil.com.br e agende uma aula experimental gratuita!

Professora Aline Simo

Aline SimoDiminutivo em português, você sabe como usar?

Hábitos brasileiros que os chilenos acham interessantes ou diferentes

by cursovilabrasil on 05/07/2015 No comments

[styled_title]Hábitos brasileiros que os chilenos acham interessantes ou diferentes

[/styled_title]

O blog Pigmento F criou uma lista de costumes brasileiros que os chilenos acham interessantes ou bem diferentes. A lista é bem legal e mostra características brasileiras bem generalizadas, mas ainda sim vale a pena ler. Vou colocar alguns exemplos aqui, se quiser pode ler o Post completo aqui.

  1. “O brasileiro parece não ter problemas, está sempre feliz e sorrindo.” Francisca, 25 anos.

Quem dera não tivéssemos mas é legal saber que nos veem assim.

 

large

  1. “Eu já notei que o brasileiro fala muito alto e sempre gesticulando. Eu acho engraçado. Deve ser uma influência da energia do samba.” Juan Pablo, 42 anos.

Não atribuiria ao samba porque nem todos gostam (eu gosto) mas é verdade, falamos alto e com as mãos.

 

  1. “O mar do Brasil tem uma água que dá pra mergulhar porque é morninha e mesmo assim, um monte de gente fica na areia.”Pilar, 30 anos.

hahahahaha #EfeitoBronzerEterno

 

giphy

  1. “Vou 1x por mês ao Brasil a trabalho e agora já aprendi que ‘sentou e sorriu, a conta dividiu’. Acho interessante todo mundo já saber que vai dividir a conta quando sai junto.” Sebastián, 36 anos.

Olha, não sei se chega a ser uma regra mas é bem comum sim.

 

tumblr_lm72wese7H1qedz9jo1_500

  1. “As mulheres são muito vaidosas. Sempre estão maquiadas, com o cabelo bonito e produzidas. Parece que sempre estão prontas para uma festa. Identificamos de longe uma brasileira.” Jimena, 28 anos.

Incrível como tantos estrangeiros me dizem isso. Já escutei a mesma coisa de europeus, australianos, japoneses…

 

  1. “Todo churrasco tem farofa e a cerveja obrigatoriamente precisa estar gelada.” Constanza, 27 anos.

Eita saudade de uma farofinha bem temperada. Sobre a cerveja, eu não bebo mas alguém um dia disse que ela tinha que ser gelada e todo mundo aceitou hahaha.

 

perro-y-comida_zps81532f60

  1. “São receptivos, gostam de te convidar para comer em casa mas é interessante ver que todo mundo se serve. Não tem essa de esperar a dona da casa servir.” Javier, 38 anos.

E se ficar esperando, não come hahaha.

 

tumblr_m6rn7qu63f1r854cro1_500

  1. “Eles tiram sarro das novelas mexicanas mas deve ser porque possuem novelas maravilhosas e porque não falam espanhol.” Belén, 30 anos.

hahahaha Pode ser. #ThaliaDiva

 

tumblr_m78617HR2S1r5ruse

  1. “Meu nome pra vocês não passa de uma música e no Chile é tão comum quanto Fernanda no Brasil.” Macarena, 25 anos.

Fato, mas dale a tu cuerpo alegría, Macarena! hahaha

 

tumblr_llz7zzsIk11qfpsero1_500

  1. “Os brasileiros cantam na rua, no metrô, quando bebem, quando o time faz gol. Gostam muito de cantar.” Joanna, 32 anos.

Sou dessas hahaha.

 

tumblr_mwzateQ7Hu1r7q8gjo1_500

LEIA MAIS!

 

cursovilabrasilHábitos brasileiros que os chilenos acham interessantes ou diferentes

Palavras que o Inglês veio buscar no Português

by cursovilabrasil on 09/05/2015 No comments

Palavras que o Inglês veio buscar no Português

Para aqueles que se queixam do ingresso de vocábulos estrangeiros em nossa língua, é bom lembrar que, semelhante ao que acontece com as mercadorias e as matérias-primas, exporta quem tem, importa quem precisa. Se o Português hoje é francamente importador, já teve o seu tempo de fornecedor de vocábulos novos para o léxico do Inglês e das demais línguas modernas. Não podemos esquecer que, no séc. XVI, no seu impressionante avanço pela África e pela Ásia, Portugal tornou-se os olhos e os ouvidos de toda a Europa, trazendo do Oriente especiarias, frutas, animais e costumes exóticos, todos eles acompanhados pelas palavras que os denominavam. Foi pela mão portuguesa que entraram nas línguas ocidentais termos como macaco, chimpanzé, manga, banana, mosquito, quimono, mandarim. Com a descoberta e a ocupação do Brasil, os portugueses assimilaram e espalharam no continente europeu os nomes das plantas e animais do novíssimo mundo: não há bom dicionário de Inglês que não inclua piranha, tapioca, caju (cashew, escrevem eles), curare, jaguar, entre muitos termos oriundos de nossas línguas indígenas. Além dessas, algumas palavras realmente portuguesas terminaram sendo incorporadas pelo léxico do Inglês. As mais usadas são:

negro — (igual, com a pronúncia /nigro/) — Infelizmente, Portugal também ficou famoso pelo domínio mundial do tráfico negreiro, e não é de espantar que o termo negro tenha sido adotado pelo inglês para designar especificamente o africano escravizado. Nos anos 60, com a recuperação do orgulho racial nos EUA, o vocábulo negro, considerado pejorativo, foi substituído definitivamente por black, como atestam os movimentos dos Black Panther e do Black Power.

albino — (igual, no Inglês) — O termo vem de albo, forma antiga de alvo, sinônimo de “branco” (por isso se fala de “alvejante de roupa”), e refere-se adequadamente à pele leitosa e ao cabelo praticamente branco dos albinos. O vocábulo foi usado por um explorador português do séc. XVII para designar os primeiros negros-aças que ele avistou na África. Depois, generalizou-se para qualquer ser vivo despigmentado, inclusive animais, entre os quais se incluem o elefante branco da Tailândia, a vaca branca da Índia e, possivelmente, a baleia Moby Dick.

cobra — (igual, no Inglês, com o O fechado) — Ao lado do genérico snake, usam cobra para designar aquelas serpentes que têm a capacidade de inflar a pele do pescoço, formando uma espécie de sinistro capuz. Entre elas está a conhecida naja da Índia — a preferida dos encantadores de serpentes — e a mamba da África do Sul. Quando os portugueses chegaram à Índia em 1496, deram a este estranho animal o nome de cobra de capelo (literalmente, “cobra de capuz”); os ingleses importaram o nome, mas reduziram-no para cobra.

casta — (caste) — Casta é o feminino de casto, adjetivo que significa “puro, intacto”; como substantivo, designa uma linhagem vegetal ou animal com origem comum e caracteres semelhantes: “este vinho é feito com uvas das melhores castas”. O termo serviu, portanto, como uma luva para designar os fechados grupos sociais em que se dividia a sociedade da Índia — sistema até então desconhecido pelos portugueses —, no qual um indivíduo fica preso até sua morte na casta em que nasceu, sem que se admita mistura ou contato com os membros das castas inferiores ou superiores à sua. Logo o inglês e a maioria das língua européias adotaram o vocábulo.

tanque — (tank) Quando foi importado pelo Inglês, significava apenas “reservatório”. Durante a 1a. Guerra, contudo, quando os ingleses desenvolviam secretamente os primeiros carros de combate que rodavam sobre esteiras, espalharam o boato de que estavam construindo reservatórios de água motorizados para a campanha na Mesopotâmia. Para despistar a eficiente espionagem alemã, tiveram o cuidado, inclusive, de escrever “tank” nos engradados de madeira que levaram as peças para o solo francês, onde foram montados para entrar em ação. O estratagema produziu dois resultados: o novo veículo pegou os alemães totalmente desprevenidos, e o nome tanque ficou definitivamente consagrado.

marmelada — (marmalade) — Na tradição culinária portuguesa, é o tradicional doce de marmelo (sólido ou em forma de geléia), que acabou sendo suplantado, no Brasil, pela invencível goiabada. O termo foi levado para a Inglaterra, no entanto, para designar o doce feito com a polpa de qualquer fruta, especialmente as cítricas; basta ver que a campeã inglesa de preferência é a orange marmalade, uma “marmelada” de laranja! Só não importaram ainda o sentido figurado que damos ao vocábulo; um inglês não entenderia a frase “O Brasil inteiro — tanto o Governo quanto a Oposição —sabe que a última eleição  foi uma vergonhosa marmelada”.

bucaneiro — (buccaneer) — Designava os habitantes das ilhas de Hispaniola e Tortuga que caçavam bois selvagens e defumavam sua carne numa espécie de grelha conhecida em Francês por boucan, que veio do moquém de nossos índios; trocado em miúdos, seria algo assim como um churrasqueiro. Com o tempo, esses assadores encontraram uma atividade mais lucrativa na pirataria, e o nome colou neles. Em 1661, registra-se o seu uso no Inglês no primeiro sentido; em 1690, já aparece para designar os piratas das Antilhas. Este é um caso especial: uma palavra nossa, nativa, produziu uma derivada francesa, que se tornou comum nas Antilhas, ingressando no Inglês, no Espanhol e — lá vamos nós! — voltando para figurar no Português moderno.

Fonte: http://wp.clicrbs.com.br/sualingua/2009/05/04/palavras-que-o-ingles-veio-buscar-no-portugues/

cursovilabrasilPalavras que o Inglês veio buscar no Português

Americanos tentam entender expressões tipicamente brasileiras

by cursovilabrasil on 20/04/2015 No comments

[styled_title]Americanos tentam entender expressões tipicamente brasileiras[/styled_title]

Material retirado do site Buzzfeed

1. “To pay for the duck”.

"To pay for the duck".

Wikicommons

Segundo os gringos:

“Quando você está num daqueles jantares enormes de família e tem que pagar a conta” — Bryant Hua, editor em Nova York.

“Fazer algo extravagante (já que pato é caro)” — Susie Armitage, editora administrativa em Nova York.

“Hmmmmmm. Pagar por algo inútil? Afinal, quando um pato foi útil para alguém?” — Alex Alvarez, redatora em Los Angeles.

“Quando você age como se fosse pagar por uma refeição chique, e acaba pagando só pela entradinha” — Adam J. Kurtz, ilustrador e redator do BuzzFeed BFF.

2. “The last cookie on the package”.

"The last cookie on the package".

Divulgação

“Muito boa sorte!” — Carolyn Kylstra, editora de saúde em Nova York.

“Algo que as mulheres dizem quando saem com as amigas e tem só um único cara sexy e solteiro no lugar: ele é a última bolacha do pacote” — Keely Flaherty, coordenadora de desenvolvimento editorial em Nova York.

“Imagino que tenha a ver com algo relacionado a sorte. Tipo “maravilhoso, peguei a última bolacha do pacote, viva eu!” — Alexandra Vucetic, coordenadora de operação editorial em Nova York.

“A última pessoa do grupo a se casar, por exemplo: eu” — Alex Alvarez.

“A coisa mais desejável, um objeto pelo qual valha a pena lutar. Tipo, ‘aquele apartamento é definitivamente a última bolacha do pacote’” — Raymond Sultan, diretor adjunto de newsletter em Nova York.

3. “It’s us on the tape”.

"It's us on the tape".

Reprodução

“Fomos pegos =(” — Carolyn Kylstra.

“Provavelmente algo a ver com o presidente americano Nixon e o escândalo de Watergate. (Brinks. Não, sério)” — Keely Flaherty.

“Eu literalmente não tenho ideia do que isso poderia significar. Tipo, ‘tamo nessa juntos’?” — Alexandra Vucetic.

“Quando você tá chateado, tentando culpar alguém, e de repente se dá conta de que é sua própria culpa” — Adam J. Kurtz.

4. “Giving soup away”.

"Giving soup away".

Wikicommons

“Doar aos menos afortunados” — Bryant Hua.

“Deve significar fazer algo difícil, porque é duro dar sopa colher por colher” — Susie Armitage.

“Isso é só uma frase que pessoas diretas usam quando odeiam sopa. Tipo, ‘eu queria espaguete no jantar, que kct é essa sopa? Eu vou dar sopa” — Keely Flaherty.

“Você realmente odeia sua comida e grita com toda força dos seus pulmões para expressar seu desgosto” — Alexandra Vucetic.

“Dizer que alguém está ‘dando sopa’ significa que a pessoa perdeu a cabeça” — Raymond Sultan.

5. “Taste this mango”.

"Taste this mango".

Wikicommons

“Você vai gostar disso” — Carolyn Kylstra.

“Hm. Espero que isso não seja ~safadeza~. Haha” — Bryant Hua.

“Realizar um sonho de longa data, conseguir o trabalho que você quer, ou o parceiro que você sempre quis, etc” — Susie Armitage.

“Esse é um ditado 100% cool, tipo quando você tá discutindo com seu par, e dá uma resposta matadora, e aí você sai fora cantarolando ‘chupa essa manga’, enquanto aponta pro seu traseiro perfeito” — Keely Flaherty.

“Corei. Isso parece totalmente NSFW para mim” — Alex Alvarez.

“Quando alguma coisa sai inesperadamente maravilhosa. História pessoal: eu não suportava manga até visitar o Rio, daí eu comia manga todo dia e agora eu gosto de manga aqui também” — Adam J Kurtz.

“O equivalente a ‘chupa’, tipo um ‘vai se foder’” — Raymond Sultan.

6. “Your potato is baking”.

"Your potato is baking".

Flickr / Via Flickr: doyland

“Acho que deve significar alguma coisa tipo ‘você tá de cabeça muito quente’: ‘sua batata tá assando, se acalma’” — Alexandra Vucetic.

“É tipo um ‘ninho de ovos’ em inglês: quando você tem investimentos ou poupanças que vão se valorizar em breve” — Adam J. Kurtz.

“Você tá pensando demais” — Carolyn Kylstra.

7. “Whoa, in my house!”

"Whoa, in my house!"

Wikicommons

“Sua mãe não te criou para isso” — Stacy Marie-Ishmael, editora de notícias em Nova York.

“Eu não vou tolerar esse tipo de comportamento” — Susie Armitage.

“Eu não acredito que isso aconteceu aqui!” — Alex Alvarez.

“Quando você simplemente NÃO PODE” — Adam J. Kurtz.

“Tô chocado! Não acredito! Sem essa!” — Raymond Sultan.

8. “This Coke is Fanta”.

"This Coke is Fanta".

Reprodução

“Talvez seja algo que você fala para alguém que está mentindo. Tipo uma adolescente falando “mãe, eu passei a noite na casa da minha amiga e nós só estudamos e fomos dormir cedo”, e a mãe rebate ‘esta coca é fanta, você tá claramente de ressaca’” — Susie Armitage.

“Produto pirata” — Bryant Hua.

“Quando alguém tenta ser algo que ele não é. Tipo eu, agora, tentando fingir que entendo algum destes ditados: ‘esta Coca (eu) é Fanta (uma fraude total)” — Keely Flaherty.

9. “You sealed!”

"You sealed!"

Reprodução / Via youtube.com

“Você bebeu?” — Carolyn Kylstra.

“Você me prometeu” — Bryant Hua.

“Eu sou uma fofoqueira muito talentosa e contei os segredos da minha melhor amiga pra vizinhança inteira — lacrei!” — Alexandra Vucetic.

“Você conseguiu! Você ganhou!” — Alex Alvarez.

“Você tá ferrado. Você foi pego. Você tá em uma posição inescapável” — Raymond Sultan.

“Quando você tá totalmente ferrado, tipo se o seu chefe ouve você falando mal dele: você lacrou” — Keely Flaherty.

 

Material retirado do site Buzzfeed

cursovilabrasilAmericanos tentam entender expressões tipicamente brasileiras