Programação do Carnaval em Brasília

by cursovilabrasil on 28/02/2014 No comments

Programação do Carnaval em Brasília

O Vila Brasil – Português para estrangeiros estará de recesso neste Carnaval. Veja a programação do Carnaval de Brasília e aproveite você também o feriado!

1723799_281110002051476_1971790449_n

Retornaremos no dia 6 de março, até lá!

Fonte: Brasiliarium

cursovilabrasilProgramação do Carnaval em Brasília

Região da Indonésia quer ensinar português

by cursovilabrasil on 26/02/2014 No comments

Região da Indonésia Quer Ensinar Português

Indonesia-Flores-Island

Região das Flores Oriental, na Indonésia, quer ensinar português às crianças, à confraria “Rainha do Rosário” e ao Mama Muji, grupo de evangelização de missionários católicos portugueses na região.

“Nós temos um grande plano. Podemos ter turmas de português aqui, mas temos um problema com a falta de professores”, disse à agência Lusa o regente das Flores Oriental, Joseph Lagadoni Herin, acrescentando que pretende cooperar com a embaixada portuguesa na Indonésia ou com as autoridades de Timor-Leste para encontrar a pessoa certa.

Assim que tiver um professor, o regente das Flores Oriental quer iniciar as aulas de modo consistente e regular. “Não é dificil iniciar o português aqui, porque o português tem a mesma estrutura que o indonésio. Logo, nós esperamos que as crianças, a confraria e o Mama Muju possam aprender”, salientou Joseph Lagadoni Herin.

O Mama Muji (“Louvor de Mãe”), iniciado no século XVIII, é um grupo de 125 mulheres casadas que reza em português obrigatoriamente durante a Semana Santa, mas todos os sábados cerca de 80 elementos do grupo e outras pessoas que não fazem parte do mesmo deslocam-se à “Gereja Tuan Ma” ou Capela da Senhora Mãe para rezar o rosário em Língua Portuguesa.

Mulheres e crianças de diferentes idades e até alguns homens rezam e cantam em português, por vezes intercalado com indonésio, com o auxílio de livros, onde o português aparece escrito na forma mais conveniente para os indonésios, substituindo, por exemplo, “nosso” por “noso”.

O rei de Larantuca, que apenas governa durante a Semana Santa dado que o papel do reino foi entregue ao governo indonésio, explica que “o Mama Muji e a confraria rezam sempre em Português por causa dos seus antecessores” e aprenderam a fazê-lo pela via oral e não através de livros.

D. Martinus Dias Vieira de Godinho acredita que será difícil envolver “as senhoras idosas” nas aulas de Português, “por causa da mentalidade”, dado que “mudar os hábitos é difícil”, mas mostra-se disponível para tentar e confiante de que “as gerações mais jovens” irão participar nas aulas.

Clara Kung tem 50 anos, aprendeu a rezar na língua portuguesa através da mãe e da avó, que “rezavam sempre em português”, daí que hoje em dia todos os sábados se desloque à capela da Senhora Mãe, ao lado da sua casa, para “rezar pelas crianças e pela felicidade na vida”.

Há centenas de palavras em indonésio derivadas do português, como “bola”, “boneka”, “Keju”, “sekolah”, mas nas regiões de Flores Oriental e Sica os vestígios estão ainda mais presentes, não só nas orações, que também acontecem na regência de Sica, mas também nas palavras usadas no quotidiano, como, por exemplo, os dias da semana.

Os portugueses foram os primeiros europeus a chegar à Indonésia, em 1512, na mira de especiarias e, embora não tenham colonizado o país, procederam a uma forte evangelização católica até 1859, ano em que assinaram um tratado com a Holanda.

Fonte: observatorio-lp.sapo.pt

cursovilabrasilRegião da Indonésia quer ensinar português

O número de falantes de português deverá chegar a 350 milhões

by cursovilabrasil on 20/02/2014 No comments

O número de falantes de português deverá chegar a 350 milhões

paises-que-falam-portugues

A Língua Portuguesa atingiu a sua plena identidade linguística no início dos Descobrimentos, no século XV, e hoje é usada por mais de 250 milhões de pessoas como idioma oficial.

Este universo de falantes representa mais de 7% da superfície continental da Terra. São oito os países de língua oficial portuguesa, Portugal, Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.

Tudo indica que, em 2050, mais 100 milhões de pessoas vão se juntar ao número de falantes de português. 350 milhões vão manter a Língua Portuguesa no topo de idiomas mundiais, sendo a terceira mais falada na Europa, depois do inglês e do espanhol.

O português é ainda uma das línguas que regista uma das taxas de crescimento mais elevadas nas redes sociais e na aprendizagem como língua estrangeira.

Fonte: pt.euronews

cursovilabrasilO número de falantes de português deverá chegar a 350 milhões

Legislação para potencializar o uso da Língua Portuguesa na Galiza

by cursovilabrasil on 19/02/2014 No comments

Galiza deverá aprovar em março legislação que potencializa a utilização da Língua Portuguesa na região espanhola.

galicia

De acordo com Jóam Evans Pim, da comissão promotora da Iniciativa Legislativa Popular (ILP), a proposta para aproveitamento da língua portuguesa e dos vínculos com a Lusofonia será levada à sessão plenária do Parlamento da Galiza de 11 de março, dia em que terá lugar novo debate e votação “com a previsão de unanimidade” na aprovação.

Trata-se de uma proposta de lei aprovada em maio de 2013, mas que foi alvo de várias alterações ao texto original após negociações com os vários partidos representados.

O documento final a votação, consultado pela agência Lusa esta quinta-feira, define, no novo primeiro artigo, que os “poderes públicos galegos promoverão o conhecimento da língua portuguesa e das culturas lusófonas“.

Com esta legislação, o governo regional “incorporará progressivamente a aprendizagem da língua portuguesa no âmbito das competências em línguas estrangeiras nos centros de ensino” da Galiza, devendo ainda promover “relações a todos os níveis” com os países de língua oficial portuguesa e fomentar o conhecimento do português entre os funcionários públicos.

Fonte: observatorio-lp.sapo.pt

 

cursovilabrasilLegislação para potencializar o uso da Língua Portuguesa na Galiza

Vila Brasil levará seus alunos ao Salto do Itiquira!

by cursovilabrasil on 18/02/2014 No comments

 

save-the-sate-itiquira.fw

O Vila Brasil levará seus alunos e outros interessados para conhecer o Salto do Itiquira, a cachoeira mais alta e acessível da América Latina com  168 metros de queda livre. Um lugar que impressiona a todos! Com uma Infraestrutura completa: Calçamento, pontes, bancos, sanitários, bebedouros, cascatas, poços para banho, restaurante e estacionamento.

Veja as fotos desse lugar incrível:

Fonte: http://www.itiquira.tur.br/novo/salto-do-itiquira-2

Você e seus amigos não podem perder este passeio!

Anote na sua agenda, dia 22 de março!!!

Em breve divulgaremos mais informações!

cursovilabrasilVila Brasil levará seus alunos ao Salto do Itiquira!

Países podem estar interessados em adotar o português como língua oficial

by cursovilabrasil on 17/02/2014 No comments

Introdução do português como língua oficial na Guiné-Equatorial é vista como “uma oportunidade” para outros países.
CPLP - BANDEIRAS E NOMES PAISES
A Guiné-Equatorial, onde se fala predominantemente castelhano, instituiu em 2010 o português como língua oficial, uma das condições de adesão deste país à CPLP – o país é observador deste organismo internacional desde 2006.
“Isso tem sido visto como uma oportunidade e abre a porta para que o português se torne oficial também em outros países. Estamos numa fase histórica, em que os países estão ampliando a oficialidade das línguas”, defendeu Gilvan Müller de Oliveira, responsável do IILP, organismo da CPLP.
“Os países percebem que as línguas são recursos e que é interessante que a população fale mais línguas, que possa haver mais línguas circulando e que elas são pontes para outros países, a internacionalização e a globalização é realmente um valor para um país e a multiplicação das línguas oficiais traz muitos benefícios para um país”.
Müller de Oliveira apontou que o número de línguas oficiais no mundo está crescendo de uma maneira muito rápida.
“Devemos estar muito atentos para que outros observadores ou candidatos a observadores da CPLP possam ter um caminho e um apoio caso queiram vir a oficializar o português, porque abre novas pontes e novas oportunidades para a nossa comunidade”, sublinhou.
Além da Guiné-Equatorial, são observadores da CPLP as Maurícias e o Senegal.
O diretor-executivo do IILP apontou que “nada impede que o exemplo da Guiné-Equatorial seja percebido como uma oportunidade”, mas disse não existir nenhum pedido nesse sentido.
Müller de Oliveira, original do Brasil, que faz fronteira com o Uruguai, exemplificou que este país “é realmente bilíngue, o português é falado em todo o norte”.
“O país fez vários passos na aproximação ao português, na criação de escolas bilíngues publicas. Nada impediria, dito de forma teórica, que o Uruguai possa vir a declarar o português como uma língua oficial, no futuro, desde que isso possa ser entendido como uma oportunidade e um processo positivo e controlado pelo governo do Uruguai”, referiu.

Fonte: observatorio-lp.sapo.pt

cursovilabrasilPaíses podem estar interessados em adotar o português como língua oficial

Escritores Brasileiros: Guimarães Rosa

by cursovilabrasil on 14/02/2014 No comments

Guimarães Rosa foi um dos mais importantes escritores brasileiros de todos os tempos. Entre suas obras mais famosas estão Grande Sertão: Veredas e Sagarana. Uma de suas características mais marcantes é o uso de neologismos. 

GR_BLOG

João Guimarães Rosa nasceu no dia 27 de junho de 1908, em Cordisburgo, Minas Gerais. E desde pequeno era encantado por estudar outras línguas. Iniciou-se sozinho no estudo do francês. Um frade ensinou a ele o holandês e o ajudou a seguir no estudo do francês. Após passar por alguns colégios, fixa-se em Belo Horizonte, onde completa o curso secundário em uma escola de padres alemães. Logo que ingressa, Guimarães Rosa começa o estudo de alemão. Ainda nessa cidade, matricula-se na Faculdade de Medicina da Universidade de Minas Gerais, em 1925.

Nem tinha formado, quando em 1929, escreveu seus primeiros contos e deu início à sua carreira como literário. Já a princípio, ganhou prêmio em dinheiro pelos tais contos, ao participar de concurso oferecido pela revista “O Cruzeiro”. Nesse período, suas obras, apesar de premiadas, não tinham a linguagem literária que representou um marco na literatura brasileira.

Por saber várias línguas, decide prestar concurso e ingressa na carreira diplomática, em 1934, quando serve na Alemanha, Colômbia e França.

Em 1936, participa de concursos literários que lhe rende prêmio da Academia Brasileira de Letras por “Magma”, uma coletânea de poemas. Após um ano, seu livro “Contos”, o qual mais tarde se chamaria Sagarana, ganhou o prêmio Humberto de Campos. O primeiro de tantos outros que recebeu por esta obra que reúne contos sobre a vida rural em Minas. É através desse livro que Guimarães Rosa começa a mostrar o regionalismo através da linguagem, característica maior do autor.

Retorna ao país de origem em definitivo somente no ano de 1951 e começa a investigar a vida sertaneja, os usos, os costumes, as crenças, as músicas e também a fauna e a flora. É quando escreve “Corpo de Baile”, dividida em três novelas: Manuelzão e Miguilim, No Urubuquaquá, no Pinhém e Noites do sertão.

“Grande sertão: veredas” vem logo após e é aclamado pela crítica por suas inovações nas formas e na escrita. Além de receber prêmios por esta obra, Guimarães passa a ser reconhecido como especial dentro da 3ª geração pós-modernista.

O autor era extremamente místico, ligado a pensamentos supersticiosos. As crenças politeístas e os fluídos bons e maus faziam parte de sua vida. Assim, curandeiros, feiticeiros, quimbanda, umbanda, espiritismo e a força dos astros refletiam em concordância com as ideias deste autor. Por este motivo, se estabelece uma relação entre a inovação na fala das personagens e o regionalismo envolto em um “sertão místico”.

A característica peculiar de Guimarães Rosa é o uso de neologismos, ou seja, da criação de palavras ou da recriação delas.

Após resistir um pouco, Guimarães Rosa assume a cadeira na Academia Brasileira de Letras, toma posse três dias antes de morrer. No seu discurso de posse, diz: “…a gente morre é para provar que viveu.”

O autor faleceu de um mal súbito, em 19 de novembro de 1967; tinha 59 anos.

Fonte: brasilescola.com

cursovilabrasilEscritores Brasileiros: Guimarães Rosa

Coffee is a language in itself.

by on 14/02/2014 No comments

Now, mustering the spare poles from below, and selecting one of hickory, with the bark still investing it, Ahab fitted the end to the socket of the iron. A coil of new tow-line was then unwound, and some fathoms of it taken to the windlass, and stretched to a great tension. Pressing his foot upon it, till the rope hummed like a harp-string, then eagerly bending over it, and seeing no strandings, Ahab exclaimed, “Good! and now for the seizings.

Coffee is a language in itself.

Segurando vela!

by cursovilabrasil on 13/02/2014 No comments

Você sabe o que significa a expressão “segurar vela”?

Segurar-Vela-BRASIL ESCOLA

Uma pessoa que está segurando vela é aquela acompanha um casal de namorados.

Exemplo: Não vou ao cinema com vocês! Não quero segurar vela.

Origem

Por muito tempo, a inexistência de lanternas ou lâmpadas de longa duração dificultava bastante a realização de qualquer ofício em locais mal iluminados. Dessa forma, as velas se transformavam no único recurso suficientemente capaz de resolver a busca por claridade. No período medieval, as velas costumavam ser seguradas pelos aprendizes das corporações de ofício. Enquanto auxiliavam na iluminação do lugar, acompanhavam as etapas que envolviam a execução de uma tarefa ou a aplicação de alguma técnica.

De simples necessidade, segurar velas acabou se transformando em uma atividade profissional de menor importância. Em alguns teatros e estabelecimentos noturnos, era comum observar a presença de garotos que eram pagos para manter as velas destes locais acesas. Entre os franceses, essa expressão estava relacionada com o curioso hábito dos nobres e burgueses de elegerem um criado para ficarem de costas, segurando uma vela ou candelabro, enquanto os patrões tinham suas relações sexuais.

Todo o infortúnio que se relacionou à tarefa de segurar vela acabou fazendo com que a expressão fosse originalmente usada para se remeter a qualquer tipo de subordinação humilhante. Com o passar do tempo, quem passou a “segurar a vela” foram as amantes dos secretos triângulos amorosos. Dessa forma, faz pouco tempo que as “velas” passaram a ser “seguradas” todas as vezes que um pobre solteiro é obrigado a acompanhar um casal enamorado.

Fonte: brasilescola.com

 

cursovilabrasilSegurando vela!

A wild cry of exultation arose from the Heliumite squadron, and with redoubled ferocity they fell upon the Zodangan fleet. By a pretty maneuver two of the vessels of Helium gained a position above their adversaries, from which they poured upon them from their keel bomb batteries a perfect torrent of exploding bombs.

Some wise words